[Resenha] "Fique Onde Está e Então Corra" - John Boyne - Viaje na Leitura

17/08/2014

[Resenha] "Fique Onde Está e Então Corra" - John Boyne



Sinopse - "Em meio às tragédias da Primeira Guerra Mundial, o amor é a única arma de um garoto para curar seu pai. Alfie Summerfield nunca se esqueceu de seu aniversário de cinco anos. Quase nenhum amigo dele pôde ir à festa, e os adultos pareciam preocupados — enquanto alguns tentavam se convencer de que tudo estaria resolvido antes do Natal, sua avó não parava de repetir que eles estavam todos perdidos. Alfie ainda não entendia direito o que estava acontecendo, mas a Primeira Guerra Mundial tinha acabado de começar. Seu pai logo se alistou para o combate, e depois de quatro longos anos Alfie já não recebia mais notícias de seu paradeiro. Até que um dia o garoto descobre uma pista indicando que talvez o pai estivesse mais perto do que ele imaginava. Determinado, Alfie mobilizará todas suas forças para trazê-lo de volta para casa". 



Minha opinião - "Fique onde está e então corra" é mais uma obra de John Boyne capaz de arrancar lágrimas dos leitores. Com uma capacidade inacreditável de nos emocionar, o livro é narrado em terceira pessoa e conta a história de Alfie Summerfield.
Alfie é um jovem que no dia 28 de julho de 1914 só quer saber de comemorar seu quinto aniversário, mas percebe que existe uma certa "tensão", apesar dos adultos tentarem agir de maneira natural.
A família de Alfie é composta por seus pais Georgie e Margie e a vovó Summerfield, mas alguns vizinhos, como o velho Bill Hemperton e sua melhor amiga Kalena Janácek estão sempre presentes em sua vida.
A vida da família Summerfield começa a mudar quando Georgie se alista como voluntário e mãe e filho precisam aprender a lidar com a nova realidade. Enquanto todos continuam dizendo que a guerra logo irá acabar, Alfie percebe que não é bem assim e quatro anos acabam se passando. 
Sendo agora o homem da casa com 09 anos de idade, ele vai à estação de trem para trabalhar como engraxate, enquanto a mãe se desdobra como lavadeira, costureira e enfermeira para conseguir colocar comida à mesa.
O extraordinário dessa obra é a capacidade do autor em transmitir o ponto de vista de uma criança em um assunto tão complexo. 
Alfie é muito perspicaz e sua capacidade de compreensão faz com que ele perca a "inocência" que uma criança normal de sua idade ainda teria. Ele começa a avaliar como vizinhos que eram tão próximos, como os Janácek, foram rotulados de "espiões" e mandados embora, como sua amiga Kalena tem aspirações pessoais diferentes das mulheres de sua época e como as pessoas julgam precipitadamente os outros, principalmente quando estão sofrendo suas perdas.
Cada personagem na obra tem o seu propósito. O melhor amigo de seu pai, Joe Patience, que antes era considerado um pensador ou alguém com ideais, após se recusar a lutar e ser torturado, é visto como um pária, inclusive pela vovó Summerfield.
Os clientes regulares que Alfie atende na estação: soldados feridos, pessoas que perderam entes queridos, médicos, políticos, cada um trazendo uma perspectiva diferente desse cenário assustador.
E é claro, que a busca de Alfie pelo pai, demonstrando a melhor razão do mundo para não se desistir de alguém. Georgie representa os soldados que perderam a sua sanidade. Através de suas cartas é possível observar o quanto essa guerra é prejudicial. A cada carta lida, existe uma palpável sensação de desespero por parte do Georgie.

"Nada mais teria importância no mundo de hoje. Fique onde está e então corra - é o que ele fica repetindo e repetindo. Fique onde está e então corra. Não faz sentido". (p.92)

A trama é linda e muito bem desenvolvida. Os personagens são cativantes, carismáticos e transmitem suas dores e temores ao leitor. A escrita de John Boyne é apaixonante. Ele consegue trazer uma sensibilidade e delicadeza, abordando um tema complexo sob diversas perspectivas, através de personagem altamente humanizados.

19 comentários

  1. Oi Carol!
    Só li dois livros do Boyne ("Tormento" e "O Ladrão do Tempo) e gostei de ambos. "Fique onde está e então corra" está na minha lista de desejados.
    É difícil um autor acertar uma narrativa quando ela é feita pelo ponto de vista de uma criança, ainda mais quando se trata de um assunto tão complexo, mas parece que o autor se saiu muito bem.
    Beijos
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mariana, tudo bem?
      Eu sou um pouco suspeita para falar, pois até hoje, todos os livros do John Boyne me cativaram rs.
      Sim, é difícil conseguir um bom equilíbrio em uma narrativa infantil, mas acho que ele se saiu muito bem ao mesclar um tema pesado com uma visão inocente.
      Bjkas

      Excluir
  2. Não li nada do John Boyne, mas, lendo sua resenha, houve um equilíbrio na história: um tema forte como o de uma guerra e, por outro lado, contado por uma criança, com toda a sua inocência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jois, tudo bem?
      Foi exatamente isso o que aconteceu!
      Bjkas

      Excluir
  3. Todos falam que os livros do John Boyne são emocionantes, estou bem curiosa com esse livro.
    Achei bem interessante ter um ponto de vista de uma criança sobre a Guerra, isso deve dar um toque bom à história.
    Boa resenha! Abraços, Carol!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dilza, tudo bem?
      Eu não sei apontar exatamente o que existe na escrita do John Boyne que acaba prendendo o leitor. Tem algo extremamente cativante nos seus livros, que torna a leitura apaixonante.
      Bjkas

      Excluir
  4. Eu adoro o Boyne. Acho que ele é um autor singular e muito sensível em suas tramas. O contexto da história é tenso e cruel, mas ver tudo acontecendo pelos olhos do jovem Alfie deve ser fantástico.
    Tenho certeza que vou chorar nesse livro, mas espero ter a chance de ler logo, logo.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana Paula, tudo bem?
      Realmente, singular define bem John Boyne rs.
      Espero que venha nos contar o que achou do livro quando terminar a leitura ok?
      Bjkas

      Excluir
  5. Oi Carol!
    Já li também "Fique onde está e então corra", muito bom o livro mesmo né! O John Boyne consegue fazer muito bem este contraste da guerra e da criança, assim como em "O menino do pijama listrado".
    Bjos!
    Karen
    http://www.bookadvisor.com.br/

    ResponderExcluir
  6. gosto muito de livros que tenham a temática da guerra como enredo, acho que o misto de sensações e aprendizagens são o melhor da leitura!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Adorei a história, eu quero ler este livro!!!! Achei a sinopse um máximo e a história super cativante. Por ser um livro pequeno e a história otima acho que a leitura deve fluir muuito rápido. Achei que a capa não chama muito a atenção não... E... adoro livros que emocionam

    ResponderExcluir
  8. Falam tão bem da escrita de John Boyne, mas ainda não tive a oportunidade de conferir .
    Adoro livros que se passem na primeira ou na segunda guerra mundial, mostram como era vista a guerra por diferentes pessoas, e esse livro mostra o ponto de vista de uma criança o que deve ser muito tocante, adoraria ler.

    ResponderExcluir
  9. Parece ser mesmo uma história linda, tenho certeza de que vou amar Alfie. A escrita do John Boyne é realmente apaixonante, só li um livro dele até hoje e me apaixonei pelo livro. Achei a capa desse livro é muito bonita *-*
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Eu já li dois livros do John Boyce e amei os dois. E provavelmente vou amar esse se também é capaz de arrancar lágrimas. A história deve ser bem emocionante mesmo, e a trama com certeza é linda. Com certeza eu vou ler, só espero que seja logo =)
    Bjss

    ResponderExcluir
  11. Enquanto lia a resenha senti as lágrimas brotarem, imaginem ao longo da leitura do livro. Livros com enredos desta época trágica são sempre emocionantes.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  12. Oieee
    Mais um livro do John Boyne pra minha lista de leitura,essas história passadas em tempos de guerra são capazes de me emocionar como nenhuma outra ainda mais se for narrada por uma criança,o que deixa as coisas ainda mais sensíveis.Só vejo elogios em cima da trama então quero muito ler mas primeiro tenho que desencalhar O menino do pijama listrado da minha estante,e dar inicio as leituras do Boyne.
    beijos

    ResponderExcluir
  13. OOi , Nunca li um livro que se passasse na primeira ou segunda Guerra Mundial , eu nunca li nenhum livro do John Boyne mais falam tao bem das obras deles q fico ate um pouco curiosa , este livro parece seer bem interessante , e o que mais me chamou atençao a sua resenha foi de vs falar que na história o Alfie atendia politicos e soldados feridos , e é mt triste quando a criança nao tem infancia e tem que comecar a trabalhar cedo p ajudar a colocar comida dentro de casa , acho que vou gostar deste livro , pretendo dar chance a ele !

    ResponderExcluir
  14. Mais uma obra do autor que eu tenho vontade de conferir, mas um pouco de receio pelo tema ser pesado - no sentido do drama -. Acho que preciso amadurecer minha leitura um pouquinho mais antes de encarar.

    ResponderExcluir
  15. É o primeiro livro que li de Boyne e tenha certeza que ele me surpreendeu. Superou minhas expectativas.
    Adorei o personagem Alfie, sua forma de ver e encarar a vida. Assim como todos os outros personagens eu achei bem construídos. Alfie é um garoto que já passou por muita coisa difícil na vida, mesmo sendo tão novo.
    O livro eu achei emocionante demais.


    M&N
    | Desbrava(dores)
    de livros
    - Participe do nosso top comentarista. São 6 livros para
    escolher e 2 ganhadores.

    ResponderExcluir

Nós da equipe do Viaje na Leitura, agradecemos seu comentário. Sua opinião é de extrema importância para nós. Volte Sempre!

Em breve retribuiremos sua visita!